Saltar os Menus

Notícias

29 de Julho de 2022

JOSÉ SARAMAGO E UNS DOCUMENTOS DO “DIABO”… | 2 agosto – 6 setembro 2022 | MOSTRA DOCUMENTAL E BIBLIOGRÁFICA

No ano em que se assinala o centenário do nascimento do escritor José Saramago (1922-2010), o Arquivo Nacional da Torre do Tombo promove uma mostra documental e bibliográfica deste autor português que atravessou fronteiras, ganhou dimensão mundial, e viu a sua vasta e diversificada obra reconhecida com a atribuição do Prémio Nobel da Literatura, em 1998.
Nesta mostra documental faz-se uma retrospetiva da vida do autor através da memória que dele ficou nos documentos de arquivo. Dos processos da PIDE/DGS, movidos no âmbito da vigilância habitualmente exercida sobre quem suscitava suspeitas de não alinhamento aos ideais vigentes, salienta-se uma carta que escreveu à filha, Violante Saramago Matos, em 1973, aquando da detenção desta na sequência do seu envolvimento nas comemorações do 1º de maio daquele ano.
Igualmente em destaque, uma carta de Paris, escrita por Luís Cília, a propósito da colaboração entre ambos num trabalho discográfico, em que o cantor e compositor utilizaria letras de Saramago.
Também presente o processo de habilitação do jornal “O Diabo”, em 1973, com propriedade e edição de José Saramago e direção de Mário Ventura Henriques e uma carta aberta de divulgação dos objetivos e intenções deste semanário de informação e crítica, cujos signatários eram, de entre outros, José Cardoso Pires, Alice Vieira, Óscar Lopes, António Borges Coelho, Orlando Costa. Estes dois documentos estão integrados no fundo do Secretariado Nacional de Informação e no arquivo particular de Tito de Morais, respetivamente.
Do arquivo fotográfico do “Diário de Lisboa” mostram-se algumas fotografias de Saramago obtidas ao longo dos anos, individualmente ou em grupo e que constituem um dossier do jornal sobre o escritor.
Já a mostra bibliográfica centra-se numa panóplia de títulos da obra de Saramago traduzidos nas mais variadas línguas, tais como japonês, bengali, estónio, romeno, albanês, castelhano, entre outras.
Estas traduções, como as de outros autores portugueses, resultam do programa de apoio à tradução, ativo durante mais de 30 anos, primeiro pela DGLB (Direção -Geral do Livro e das Bibliotecas), depois pela DGLAB ( Direção -Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas) e desde 2020 pelo programa LATE (linha de apoio à tradução e edição).

Com entrada livre, esta Mostra pode ser visitada de 2 de agosto a 6 de setembro na Torre do Tombo, em Lisboa, de segunda a sexta-feira das 09:30 às 19:30.

Esta notícia foi publicada em 29 de Julho de 2022 e foi arquivada em: Sem categoria.