Saltar os Menus

Notícias

18 de Novembro de 2014

FNAA: disponibilização de novos registos

O Ficheiro Nacional de Autoridades Arquivísticas (FNAA: http://autoridades.arquivos.pt/) dispõe de um novo conjunto de registos, relativos, fundamentalmente, a produtores e a colecionadores de documentação que se encontra na Torre do Tombo, e a recursos documentais com eles relacionados.

Este novo conjunto (ca. de 190 registos, produzidos entre 2006 e 2007) caracteriza-se pela sua grande heterogeneidade: recursos internos – instituições, pessoas singulares e famílias, distribuídas por um período cronológico muito vasto, situado, grosso modo, entre os séculos XIII e XXI -, e ainda recursos externos – documentação por eles produzida ou colecionada.

Sempre que possível, foram ainda estabelecidas relações entre os produtores (por exemplo entre famílias que, ao longo dos séculos, se foram unindo por laços familiares, nomeadamente o casamento, e cujas relações se expressam na documentação produzida, ou entre pessoas coletivas, que se foram sucedendo no exercício de determinadas funções e atividade), bem como entre os produtores e a respetiva documentação, ou o respetivo registo patrimonial de classificação, quando disponível.

Estas descrições dão conta da informação que foi possível, até ao momento presente, reunir. O objetivo é o de continuar a enriquecê-las, à medida que nova informação se encontre disponível. Para o efeito, são igualmente bem-vindas as propostas dos utilizadores do FNAA, bastando, para o efeito, que se encontrem registados. O processo de registo é simples, como poderá verificar:

FNAA_CALM_2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FNAA_CALM_1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Através dos formulários disponíveis, pode não só propor alterações aos registos existentes

 

FNAA_CALM_3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como também sugerir a criação de novos registos:

 

C_Mocambique

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desta forma esperamos poder contribuir não só para um maior conhecimento do contexto de produção da documentação que já se encontra descrita, mas também disponibilizar novas formas de proceder à sua recuperação.

Esta notícia foi publicada em 18 de Novembro de 2014 e foi arquivada em: Projectos.

Comente esta notícia